Luis Fernando, um dos alunos do projeto "Acelerando a Escolaridade", recebendo atendimento odontológico


O Acelerando a Escolaridade, uma iniciativa da Defensoria Pública do Rio de Janeiro (DPRJ) em parceria com a Fundação Escola Superior da Defensoria Pública (Fesudeperj), que oferece aulas do ciclo básico de ensino para a população em situação de rua,  levou, na última terça-feira (27), os alunos do projeto até a Clínica Odontológica de Ensino (COE) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) para iniciar tratamentos odontológicos de maior complexidade - como extrações e cirurgias. 

Os tratamentos odontológicos são resultados do diálogo realizado, desde o início do ano, entre o presidente do Conselho Regional de Odontologia do Rio de Janeiro (CRO-RJ), Altair Andrade; do diretor da Faculdade de Odontologia da UERJ, Ricardo Guimarães Fischer; do cirurgião-dentista da DPRJ, Augusto Bessa; da coordenadora da COE, Giselle de Albuquerque; da professora do Núcleo de Diagnóstico e Triagem, Tereza Cristina de Abreu; e do coordenador de cirurgia da COE, Danilo Passeado. 

A defensora pública e uma das idealizadoras do projeto, Sara Quimas, acredita que além de apoiar a formação escolar dos alunos, o projeto ajuda a resgatar a dignidade destas pessoas para além do aspecto educacional. 

- Além da alfabetização e da formação escolar, o projeto tem o objetivo de promover a cidadania e resgatar a dignidade destas pessoas de forma ampla - esclarece. 

O grupo foi acompanhado por um dos professores do projeto, Luiz Otávio Mantovaneli, que ministra aulas de Filosofia e Artes. Ele ressalta a importância da atuação conjunta das instituições públicas e do sentimento de acolhimento que a iniciativa pode promover entre os alunos. 

- É muito importante ver essas instituições dialogando em prol desta população que vive em situação de tanta vulnerabilidade. Além dos benefícios para a saúde bucal, a iniciativa contribui para que essas pessoas se sintam acolhidas pelo poder público - afirma. 
   
“Poder cuidar dos meus dentes é um sonho realizado”

A coordenadora do projeto, Maristela Barbosa, acredita que o tratamento pode contribuir de forma positiva para cotidianos dos alunos que se sentirão mais seguros com sua aparência. 

- Além de ser importante para a saúde dos alunos, o tratamento também contribui para que eles se sintam mais confiantes e não tenham vergonha do próprio sorriso - afirma.

Esmeraldina Pereira, de 55 anos, participa do projeto há aproximadamente cinco meses e foi uma das alunas que recebeu o atendimento odontológico. Ela conta que a vontade de cuidar da saúde bucal é antiga e que o tratamento é “um sonho realizado”. Além disso, Esmeraldina acredita que o cuidado com a saúde bucal pode possibilitar novas oportunidades.

- A Defensoria passou a ser a minha casa. Eu sou muito bem recebida na instituição. Ainda não comecei o tratamento, mas só de estar aqui prestes a cuidar dos meus dentes já é uma alegria. Eu acho que após o tratamento, eu vou conseguir ser uma pessoa mais aberta e isso pode contribuir para que eu tenha mais oportunidades de trabalho.

Emeraldina Pereira, uma das alunas do projeto "Acelerando a Escolaridade", sendo atendida pelos  profissionais da COE-UERJ

 

Conheça o Projeto

O Acelerando a Escolaridade, que existe desde de 2017, é realizado com o apoio da da Fundação Escola Superior da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (Fesudeperj), do Centro de Estudos Jurídicos (CEJUR) e do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos (NUDEDH) da DPRJ. O projeto é direcionado a população em situação de rua e, além das aulas do ciclo básico de ensino e do tratamento odontológico, realiza passeios culturais, aulas sobre direitos da população em situação de rua e encaminha os alunos para cursos de formação profissional.

 

Texto: Natasha Mastrangelo



VOLTAR