Ronda percorreu a Zona Sul para verificar violações de direitos sofridas por pessoas em situação de rua. Foto: Letícia Maçulo/ DPRJ





A noite da última sexta-feira (16) foi marcada por mais uma Ronda pelos Direitos Humanos, iniciativa do nosso Núcleo de Defesa do Direitos Humanos (Nudedh), desenvolvida em parceria com outras instituições. Desta vez, o projeto visitou as praças Nelson Mandela, em Botafogo, e Serzedelo Corrêa, em Copacabana, para verificar a situação das pessoas que buscam abrigo na região. 
 
Realizada há três anos, o Ronda DH é realizado junto a pessoas situação de rua. O objetivo é entender melhor suas demandas, necessidades e as violações de direito que fazem parte de seu cotidiano. O projeto foi vencedor do Prêmio Innovare no ano passado. 
 
A ronda foi organizada pela defensora Carla Beatriz Nunes Maia, que pertence ao Nudedh e atua junto à população em situação de rua do estado. A iniciativa percorreu praças e parques da Zona Sul da cidade do Rio para conversar e coletar relatos dessas pessoas. Os depoimentos são analisados e utilizados como base para a elaboração de políticas de segurança, acolhimento e até ações judiciais para combater a violação dos direitos da população. Para Carla Beatriz, a importância do projeto está no contato com essa parcela invisibilizada da população.
 
– O projeto é quase um cartão de visita. Ele representa, para a pessoa em situação de rua, a presença de instituições sérias e que lutam pelos seus direitos – afirmou a defensora. 
 
Participante do Ronda DHm, a ativista Vânia Rosa, que já se encontrou em situação de rua, a ronda é muito importante para mostrar a essas pessoas que elas não estão sozinhas.
 
– Participar da ronda é uma forma de ser grata por ser um resultado desse trabalho de acolhimento e ressocialização. Estou aqui para mostrar que eles não são tão invisíveis quanto pensam, quanto queiram que eles sejam – afirmou.  

A Ronda DH foi criada em co-autoria pela defensora Carla Beatriz Nunes Maia e pelo defensor público federal Renan Vinicius Sotto Mayor e é composta pela DPRJ, Defensoria Pública da União, o Projeto Ruas, o Gabinete da vereadora Luciana Novaes e o Projeto Voar.

Texto: Letícia Maçulo



VOLTAR