O evento relembrará casos de negligência que apontam necessidade de se avaliar assistência a grávidas 


 
A mortalidade materna e os direitos humanos serão debatidos em um workshop que a Coordenação de Defesa dos Direitos da Mulher da Defensoria Pública do Rio de Janeiro (DPRJ) promoverá no próximo dia 20 de outubro, na sua sede operacional – Edifício Menezes Cortes, Rua São José, 35, Centro. O evento, que será realizado das 9h às 14h, vai discutir o atendimento prestado atualmente às mulheres grávidas pela rede pública de saúde. Realizado em parceria com importantes organizações da sociedade civil, o evento também vai relembrar casos de negligência, que apontam para a necessidade de se dar mais atenção a área.
 
Um deles é o de Alyne Pimentel, que completa 15 anos em novembro. Negra e moradora de Belford Roxo, Alyne estava no sexto mês de gestação quando buscou assistência em uma unidade de saúde pública. Com náusea e fortes dores abdominais, ela recebeu analgésicos e foi liberada para casa. Como não melhorou, retornou ao hospital, quando então foi constatada a morte do feto. Apesar da gravidade, a cirurgia para retirada dos restos da placenta ocorreu horas depois. Em decorrência, o quadro se agravou e ela acabou morrendo, aos 28 anos de idade, deixando marido e uma filha de cinco anos.
 
O outro caso é o de Rafaela Cristina Souza dos Santos, adolescente grávida, que buscou atendimento médico em quatro unidades públicas de saúde e, após, ser negligenciada, acabou falecendo ao dar à luz ao filho Miguel. O caso ocorreu em 2015. A DPRJ chegou a instaurar procedimento para apurar a responsabilidade dos centros médicos.
 
Segundo a coordenadora de defesa da Mulher da Defensoria Pública, Arlanza Rebelo, os casos não são isolados e apontam para a necessidade de as instituições públicas discutirem a assistência materna no Brasil. O workshop conta com a parceria das organizações Criola, da Rede de Desenvolvimento Humano (REDEH), da AMB-Rio e do Centro de Controle de Direitos Reprodutivos. O evento é aberto e será mediado pela coordenadora geral do CRIOLA, Lucia Xavier, e pela antropóloga Liliane Brum, integrante da REDEH. Confira aqui a programação.  
 
Serviço
 
Workshop Mortalidade Materna e os Direitos Humanos 
Data: 20 de outubro – 9h às 14h
Local: Edifício Menezes Cortes, Rua São José, 35 - Auditório do 13º andar



VOLTAR